Sofrimentos maiores

Uma das coisas que me deixa profundamente triste ao observar minha geração é o egoísmo que coabita em nosso meio. Em um mundo tão corrompido e devastado pela desumanidade no ser humano, a maioria dos nossos jovens e adolescentes está preocupada com o seu “mundinho perfeito” e esquece dos problemas que assolam a nossa sociedade. Confesso que até um certo tempo atrás eu era assim, pensava que os meus problemas eram os piores do mundo e fazia drama para conseguir o que queria até que tive de encarar o mundo como ele é de fato e ver que existe vida além do “meu mundo”.

Conheci a história de uma mulher que recentemente havia sido solta da prisão após uma armação do narcotráfico manauara contra ela. Seu marido estava devendo a um traficante e para não matá-lo, fez um acordo com ela em que se ela trouxesse para Fortaleza algumas drogas consigo, deixaria seu marido viver e ela retornar. Assim foi feito, mas para azar daquela mulher, a polícia descobriu que ela carregava drogas dentro de seu corpo, pois ainda no avião, ela passou mal. Quando pousou, foi examinada e ali descobriram tudo, ela tentou até desconversar, mas terminou presa.

Anos se passaram e a mulher nunca conseguiu se comunicar com a família que ficou em Manaus. Após sair da cadeia, ela descobriu que seu marido havia arranjado outra mulher e os seus filhos, na época crianças, cresceram acreditando que ela havia morrido. Após escutar seu depoimento, meu coração se desfez em pedaços e pude ver que existem sofrimentos maiores do que os meus.

Naquele momento tomei consciência de que precisava fazer alguma coisa para ajudar quem precisava seja lá o que fosse. Se uma criança em um orfanato precisar de atenção, eu quero estar dando atenção. Se um idoso precisa de alguém para conversar, eu quero estar conversando. Se um mendigo precisa comer e não tem como conseguir, eu quero dar de comer. Percebi que não vale a pena passar o dia nas redes sociais postando “depressões sobre decepções amorosas” quando existe um mundo que precisa de afeto.

Não posso salvar o mundo, mas posso salvar quem faz parte do meu mundo.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário